quarta-feira, 8 de junho de 2011

Feira do Livro da Batalha

 

Feira do livro da Batalha

Sessão de Autógrafos com Vanda Furtado Marques

Dia 10 de Junho pelas 21:30

A herança de D. Filipa e D. João I

clip_image002

terça-feira, 7 de junho de 2011

Era uma vez… no Mosteiro da Batalha

 

Na Capela do Fundador as crianças aprendem a história ao vivo.

                               image

D. João I e D. Filipa de Lencastre e repousam de mão dadas … tendo uma enorme  e bela abóboda estrelada de oito pontas, tantas quantos os filhos que geraram.

Uma história encantadora… para despertar o gosto pela nossa História de Portugal.

 

BILD5451      BILD5450

                                BILD5460

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Na Biblioteca de Porto de Mós

Sábados a contar..."

image

No sábado dia 4 de Junho pelas 16h.

A Biblioteca Municipal de Porto de Mós convida-o a ouvir uma história com o seu filho.
“A herança de D.Filipa e D.João I” é a história que vamos ouvir pela voz da própria escritora, Vanda Furtado Marques.

A tradição do Dia da Espiga

 

image

 

O Dia da espiga ou Quinta-feira da espiga é celebrado no dia da Quinta-feira da Ascensão com um passeio matinal, em que se colhe espigas de vários cereais, flores campestres e raminhos de oliveira para formar um ramo, a que se chama de espiga. Segundo a tradição o ramo deve ser colocado por detrás da porta de entrada, e só deve ser substituído por um novo no dia da espiga do ano seguinte.

As várias plantas que compõem a espiga têm um valor simbólico profano e um valor religioso. Crê-se que esta celebração tenha origem nas antigas tradições pagãs e esteja ligada à tradição dos Maios e das Maias.

O dia da espiga era também o "dia da hora" e considerado "o dia mais santo do ano", um dia em que não se devia trabalhar. Era chamado o dia da hora porque havia uma hora, o meio-dia, em que em que tudo parava, "as águas dos ribeiros não correm, o leite não coalha, o pão não leveda e as folhas se cruzam". Era nessa hora que se colhiam as plantas para fazer o ramo da espiga e também se colhiam as ervas medicinais. Em dias de trovoadas queimava-se um pouco da espiga no fogo da lareira para afastar os raios.

A simbologia por detrás das plantas que formam o ramo de espiga:

  • Espiga – pão;
  • Malmequer – ouro e prata;
  • Papoila – amor e vida;
  • Oliveira – azeite e paz; luz;
  • Videira – vinho e alegria e
  • Alecrim – saúde e força

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin