sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Uma pergunta ao Pai Natal

No Pólo Norte, a azáfama era grande…

Os duendes embrulhavam os presentes com grandes fitas douradas, o Pai Natal ia conferindo as listas, as renas treinavam os seus voos pelos céus, a Mãe Natal separava os presentes por países…

Que lufa, lufa, se vivia na aldeia do Pai Natal.

Á última da hora chegou a cegonha carteira, com uma carta que dizia URGENTE.

O Pai Natal, os duendes, as renas e a Mãe Natal reuniram-se, muito ansiosos à volta da cegonha.

- Vá Pai Natal! … Abre a carta, depressa!

O Pai Natal abriu o envelope, pegou na carta e leu alto:

Querido Pai Natal

Espero que estejas bem, tal como a tua família, os duendes e as renas.
Preciso de uma explicação, sobre algo muito, muito importante. Como é sobre ti, achei melhor escrever directamente, para ti. Tu, Pai Natal dás presentes aos meninos que se portam bem? Não é?
Mas, eu conheço meninos que se portam bem e que não recebem presentes, e eu não consigo perceber o porquê? .Os adultos disseram que como eles eram pobrezinhos, não recebiam presentes.

Ó Pai Natal que resposta mais parva! … Como se tu não desses presentes a esses meninos, por eles serem pobrezinhos… Tu és um Homem justo e isso não é possível? Pois não?

Preciso de uma reposta.
Beijinhos
Catarina

O Pai Natal, os duendes, as renas e a Mãe Natal ficaram a olhar uns para os outros, sem saber o que responder. O Pai Natal muito emocionado disse que ia sentar-se no seu sofá, pois precisava de encontrar uma resposta para esta menina.

As renas, os duendes e a Mãe Natal voltaram para o seu trabalho, mas também eles se sentiam inquietos.

Entretanto,o  Pai Natal pensou, repensou e fez-se luz…

No dia 24 de Dezembro, o Pai Natal desceu pela chaminé da casa da Catarina, deixou-lhe os presentes e uma carta vermelha, onde se lia:

URGENTE: para a Catarina

No dia de Natal, a Catarina acordou, correu para junto da árvore para abrir os presentes e foi então, que  viu uma carta vermelha com o seu nome, muito nervosa, abriu-a e leu-a:

Querida Catarina

Fizeste muito bem, em escrever-me, pois às vezes as pessoas não sabem responder por nós. Ainda bem, que me disseste que estavam a acontecer problemas desses, com alguns meninos.

Sabes, é que eu já estou a ficar mais velho, e nem sempre ponho os óculos, sou um bocado teimoso e resmungão. Por isso, não li  com cuidado, a lista com nome dos meninos que se portaram bem.

Prometo-te que a partir de agora, nunca mais me esqueço de pôr os óculos.

Com as minhas desculpas.
Um grande beijinho,
Pai Natal

Catarina, sorriu de orelha a orelha, ela sabia que o Pai Natal era um homem bom e desta vez, conseguiu perceber bem a resposta, pois ela por vezes, por teimosia também acaba por fazer “coisas” menos boas.

Terá sido, ou não, Magia do Natal, mas nesse ano todos os meninos, sem excepção receberam presentes de Natal.

Desejo a todos um Feliz Natal e que o espírito de partilha e de solidariedade esteja presente em nós.

escrito e criado por Vanda Maria Furtado Marques

1 comentário:

Eliana - PIPOCA disse...

Ahhh! Que história mais linda VANDA. Parabéns... Suas palavras me levaram de volta ao passado quando por melhor que me comportasse e por mais que pedisse, não conseguia ganhar do Papai Noel (é assim que chamamos aqui no Brasil) a tão sonhada bicicleta. Era sempre uma boneca de plástico igualzinha à do ano anterior... De início, eu ficava decepcionada mas, logo me "reapaixonava" pela presente doado por uma entidade social...
Amei a lembrança da criança pobre materialmente porém, extremamente feliz que fui e sou ainda.
Bjo carinhoso.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin