terça-feira, 11 de janeiro de 2011

O que podemos aprender com as histórias infantis

image

O Rei vai nu

Este conto fala-nos de um rei que era muito vaidoso. Certo dia, dois trapaceiros resolveram aproveitar-se desta sua peculiaridade, enganando-o. Disseram-lhe, então, que haviam encontrado um tecido muito belo, que apenas os mais inteligentes eram capazes de ver. Conseguiram que o rei logo quisesse comprar um fato de tal raridade, a fim de mais bonito parecer e para poder testar a qualidade intelectual da sua corte.
Algum tempo depois, o monarca decidiu sair com a sua “vestimenta” e mostrar-se ao povo. Toda a gente olhava admirada para o rei, pois ninguém queria mostrar-se parvo. A dada altura, uma criança, na sua inocência, gritou: -“Olha, olha! O rei vai nu!”
A afirmação desencadeou prontamente uma gargalhada geral e só aí o rei compreendeu que tinha sido enganado. Envergonhado com toda a situação, e arrependido da sua vaidade, rapidamente se escondeu no palácio
.
A história d’ “O rei vai nu” adverte-nos do perigo de, ao sermos demasiado vaidosos, ficarmos mais frágeis, menos lúcidos e capazes de usar a razão, enfim, mais susceptíveis de sermos enganados e cairmos no ridículo. A vaidade excessiva tolda a mente.
Por outro lado, fala-nos do medo de nos afirmarmos perante os outros, de expressarmos o que pode ser rejeitado ou contribuir para que não nos aceitem, ainda que seja  óbvio. Todos viam que o rei estava nu, mas só uma criança, que não teme ainda a rejeição social, porque dela não tem consciência, foi capaz de o denunciar publicamente.
A inocência infantil poderá, porém, ser substituída pela coragem de alguém que ouse ir «contra a maré». Se algum adulto, de entre os muitos que assistiam ao desfile, tivesse dito bem alto a verdade, poderia ter igualmente desencadeado a reacção colectiva. Por isso, esta história constitui igualmente um estímulo à intervenção corajosa, ousada.

Sem comentários:

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin