domingo, 28 de fevereiro de 2010

Por onde andas …ó fazedor de palavras

image

ilustração de Rebecca  Dautremer

Todos os dias Maria, vestia o seu mais belo fato vermelho, pintava

os lábios de carmim, colocava cuidadosamente a coroa na cabeça, corria

para a janela, encostava a sua face aos cortinados e esperava…  ás  vezes

por ali ficava toda a manhã, outras vezes, só abandonava a janela, quando

já estava escuro.

Os habitantes daquela terra interrogavam-se?

- O que seria que a princesa tanto esperava?

Haviam pessoas, que diziam que ela esperava amado que tinha  ido para a guerra, outras,  que ela esperava

o príncipe encantado que ainda estava para vir!

Esta  dúvida estava a deixar o povo inquieto, e até já se faziam apostas pelas ruas.

Os mais corajosos,  batiam  na   porta do Castelo e perguntavam:

O que a princesa Maria, tanto espera à janela?

Mas os guardas, os criados,as criadas, os jardineiros, as aias também não podiam ajudar, pois eles também não

sabiam responder a este mistério.

A determinada altura, o mistério já era tão grande, que não se falava de outra coisa no Reino da Fantasia.

O rei e rainha para acalmar os ânimos, propuseram:

- Quem nos ajudar a descobrir o segredo da princesa Maria, receberá a sua mão em casamento.

Os  rapazes  lá do reino ficaram entusiasmados, mas como poderiam saber… se  a princesa era muda.

Os  pretendentes perguntaram pelo reino, depois pelas terras vizinhas e até pelo mundo inteiro…

Mas nada.

Até que um dia, um contador de histórias,  trazia nos seus sacos e algibeiras  milhentas histórias de fazer sonhar .

Sentou-se na praça em frente ao palácio, e da sua boca surgiram as mais belas palavras  que se poderia imaginar.

Maria, abriu a janela e inspirou profundamente aquelas palavras, que se  iam  espalhando como uma sinfonia, pela praça.

As palavras iam entrando dentro de Maria e um enorme sorriso ia-se rasgando nas suas faces.

Até que lá do alto da sua janela, Maria falou:

-  Era o contador de histórias que eu estava a esperar, só ele com a sua magia das palavras …   me poderia fazer falar.

Como seria de esperar, Maria e o  contador de histórias casaram-se  e tiveram muitos, muitos filhos que perpetuaram

a magia da palavra e foram grandes contadores de histórias.

Por isso quando ouvirem um contador de histórias,   lembrem-se que ele descende da família real do Reino da Fantasia.

 

Escrito e criado por Vanda Furtado Marques

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

A Padeira foi a Valbom e a Alcobaça

 

 

image image

 

Ontem a Padeira de Aljubarrota, foi espalhar as suas aventuras por terras de Alcobaça.

A ida à Escola de Alcobaça foi especial , pois permitiu-me recordar os meus tempos de criança .

Adorei o grupo de alunos que tive a minha frente, estiveram super atentos,  muito

bem informados sobre o contexto que envolvia a história e foram muito, muito curiosos.

Recordei a vinda da carrinha da Gulbenkian à Alcobaça e a alegria que isso nos trazia, quando éramos crianças e como

os livros nos levavam a sonhar, a percorrer mundos desconhecidos, sentir cheiros e  abrir asas na nossa imaginação.

Comparámos essa situação com a actualidade, onde o imediatismo e a ditadura da imagem, nos cortam as amarras para sonhar.

Foi uma partilha muito gratificante.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Congresso Internacional de Literatura Infantil

Está de regresso o Congresso Internacional de Literatura Infantil, desta feita subordinado ao tema Releituras do fenómeno mítico-lendário no espaço ibero-americano.

O seu grande objectivo é promover uma reflexão pluridisciplinar no sentido de encontrar e fortalecer rumos conceptuais em relação às lendas e à sua reinterpretação junto das crianças, de forma a estimular nelas não só o gosto pela leitura, mas também pelo património cultural imaterial.
Promovido pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro - Pólo de Chaves, bem como pelo Observatório de Literatura Infanto-Juvenil e pela Câmara Municipal de Chaves, o congresso realizar-se-á nos dias 14, 15 e 16 de Maio de 2010.

retirado do blog: livro infantil

O Perigo de uma única história

As nossas vidas, as nossas culturas, são compostas por muitas histórias sobrepostas.
A romancista Chimamanda Adichie conta a história de como descobriu a sua voz cultural - e adverte que se ouvirmos apenas uma história sobre outra pessoa ou país, arriscamos um desentendimento crítico.

Vale a pena ouvir a lição de vida desta escritora nigeriana.

TED: Chimamanda Adichie

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

A Rainha Santa Isabel fez milagres na Fundação St Margarida no Arrabal

BILD1161 BILD1168

BILD1164 BILD1172

A história de D. Dinis e da Rainha Santa Isabel levou-nos pelo reino de Portugal e o imaginário dos Reis e Rainhas fez sonhar as crianças

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Pedro e Inês na Escola Portuguesa em Moçambique

 

O livro “ O Amor de Pedro e Inês” chegou a Moçambique e foi o mote de inspiração para o dia dos namorados.

 

image image image image

Devemos valorizar a nossa História de Portugal

 

image image image

 

    Por vezes quando abordo as figuras da nossa História de Portugal, surgem-me na  memória, imagens

do Estado Novo e da sua glorificação da pátria e a acentuação de certas figuras históricas

que eram utilizadas para enfatizar o nacionalismo, o machismo, o culto a Salazar  e o espírito do “orgulhosamente sós”.

    Porém, a abordagem Histórica, pós 25 de Abril, assume  um sentido muito diferente.

Desta forma, não devemos ter relutância em valorizar a nossa História de Portugal, pois a abordagem do nosso passado é de extrema importância, pois permite-nos valorizar  a força do povo anónimo, das grandes mulheres, mostrar que os nossos Reis e Rainhas também tiveram angústias e dificuldades como todos nós, encontrar valores de extrema importância para a nossa sociedade actual, perpetuar memórias e reforçar a identidade nacional( de forma saudável , solidária e  construtiva).

    São estas as motivações, que me levam a contar as histórias da nossa História às  crianças.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Uma música da minha infância

Eu adorava…

 

image 

A Casa

Vinicius de Moraes

Composição: Vinicius de Moraes

Era uma casa muito engraçada
Não tinha teto, não tinha nada
Ninguém podia entrar nela, não

Porque na casa não tinha chão
Ninguém podia dormir na rede
Porque na casa não tinha parede
Ninguém podia fazer pipi
Porque penico não tinha ali
Mas era feita com muito esmero

na rua dos bobos numero zero

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Dia dos Namorados- recordo o grande Amor de Pedro e Inês

image

Hoje, não posso deixar de recordar duas figuras que sempre me inspiraram.

Quando era pequena, o Mosteiro de Alcobaça era local das minhas brincadeiras,corria pelas alas do Mosteiro, e D. Pedro e D. Inês  povoavam o  meu imaginário .

Era tão belo imaginar como teria sido o amor destes dois reis, que tantas dificuldades tiveram de superar.

Este meu interesse, por Pedro e Inês aguçou-se, quando a peça a “Castro” foi representada no Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça.

Para mim, pequenita foi um deslumbramento, e ficou-me para sempre gravada na memória, o momento

final, em que centenas e centenas de pétalas de rosas vermelhas se soltaram da abóbada do cruzeiro, enaltecendo o grande amor de D. Pedro e D. Inês.

Foi um amor de outros tempos e outros contextos, mas é de uma beleza tocante…

 

image

retirado do meu livro “O Amor de Pedro e Inês”

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

A Padeira de Aljubarrota foi visitar os amigos padeiros.

 

 

A festa continua… e as crianças ajudam

image image image

 

image image

Jardim de Infância de Regueira de Pontes(Leiria)

Obrigado à minha colega de escrita e educadora Leonor Lourenço

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

EB1 da Azambujeira, a Escola dos afectos

 

Ontem lá fui carregada de malas e sonhos para a EB1 da Azambujeira.

Esta Escola é muito especial , o afecto e a integração são um sinal bem visível.

image 

Pousei as malas, vesti-me de princesa, enchi-me de sonhos e magia… respirei fundo e…outros mundos

de reis, cavaleiros e princesas, brotaram de mim, como por encanto.

O D. Fuas montado no seu cavalo levou as crianças para  o era uma vez… no tempo do rei D. Afonso Henriques.

 

BILD1083                                  BILD1102 BILD1082

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Grandes artistas

image image image image

image image

Sábados Lendários

 

Ontem, a Associação Terra Mágica das Lendas iniciou os Sábados Lendários.

Todas os  primeiros sábados de cada mês, na sede da Terra Mágica das Lendas, na Benedita, irão abrir-se portas para mundos de lendas e sonhos.

A Lenda que abriu a sessão foi “ A Fonte da Senhora”, história que conta o surgimento da Igreja da Benedita e no fundo a essência da gente da Benedita.

A sessão de histórias foi hoje, dinamizada pela Lúcia Serralheiro que foi a mediadora desta sessão, Áurea Mata que nos presenteou com a história da Zebra Camila e eu que contextualizei e contei a Lenda da Fonte da Senhora.

Tivemos  uma sessão concorrida com pais e filhos a  escutar e a colaborar num ambiente de magia e encantamento.

 

 

image image

image         image                                               

image

sábado, 6 de fevereiro de 2010

São estes momentos que me dão força para continuar na minha entrega às histórias

 

Ontem à noite, tinha uma mensagem no telemóvel de uma professora da escola portuguesa em Moçambique.

Estavam a trabalhar a História de Portugal e através da internet descobriram “ O amor de Pedro e Inês”.

As crianças estavam entusiasmados com esta história e a professora Sandra, queria lhes fazer uma surpresa.

Prontamente me ofereci para ajudar, irei enviar os livros, buscar panfletos sobre o Mosteiro e se eu pudesse

ia também… levar a minha grande paixão por esta história.

A distância é grande, mas pelo menos vai um pouco de mim para Moçambique.

Agora vou ficar à espera de notícias, para saber como estas crianças reagiram ao “ Amor de Pedro e Inês.

                                   LojaCanario010

Um beijinho para Moçambique

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

O Fascínio das crianças pela pá da Padeira de Aljubarrota

Hoje andei vestida de Padeira de Aljubarrota   pelas escolas básicas do Bárrio e Vestiaria.

A história da Padeira empolgou as crianças , estas ficaram fascinadas com esta mulher, alta , forte e com seis dedos em cada mão…   mas a grande curiosidade  deles, era a pá.

Onde ela está?

Era mesmo mágica?

Quem a tem?

Podemos tocar na pá e ficar fortes?

Já alguém a quis roubar? 

Padeira_capa_pequena_245x245 Cópia de HPIM2129

A PÁ - UMA PRECIOSIDADE HISTÓRICA

O povo de Aljubarrota guarda religiosamente a sua pá em ferro martelado coevo. A pá esteve escondida por duas vezes: emparedada na casa da Câmara, durante o domínio filipino; e escondida num poço durante as invasões francesas, que com grande destruição e saque estacionaram nesta zona.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Um artista nas minhas aulas

 

image image

Tive hoje o privilégio de ter nas minhas aulas de História da Cultura e das Artes, um escultor da nossa zona, Renato

Franco que vive em Alvorninha.

Eu  fiquei emocionada com o saber  e a paixão que ele transmitiu na apresentação do seu trabalho.

Os alunos, por sua vez, estavam deslumbrados a beber as palavras de um escultor a sério.

O Renato explicou-lhes como foi o percurso dele, enquanto  artista, as dificuldades que  sentiu, as vitórias  e as lutas constantes com que se debate todos os dias.

Mostrou-lhes ainda, através de esculturas realizadas por ele, de que forma a arte pode ajudar na nossa identidade histórica e de que como se podem criar obras de arte através da reutilização de contentores, chapas, lixo, paus e etc.

Apelou ainda para a necessidade de nos conciliarmos com a natureza e saber aproveitar os recursos que ela nos tem para dar.

Foram duas horas  de exposição por um percurso fantástico  e ouvir artistas assim vale a pena… e os alunos agradecem.

renatofranco.planetaclix.pt/

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

O Amor de Pedro e Inês vai andando de Escola em Escola

 

Este ano, muitos meninos do agrupamento das Escolas da Benedita irão desfilar no Caranaval, vestidos de D. Pedro e D.Inês. Para que esta história esteja bem presente no seu imaginário, lá vou cheia de sonhos e pós de perlimpim levar-lhes  o encantamento deste grande amor.

 003 007

                                   002

                                         Jardim de Infância do Casal da Lagoa

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Vamos conhecer uma Lenda Portuguesa

Era uma vez… um cavaleiro de coração verdadeiro chamado D. Fuas Roupinho.

Era o mais forte e corajoso de toda o Reino de Portugal

Foi, por isso, o  eleito por Deus para lutar contra o mal.

Nossa Senhora concedeu-lhe um milagre e o grande D. Fuas foi salvo para tudo poder contar.      image      image        image               image 

Sessão de Histórias realizada no Centro Paroquial de Turquel.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin