quarta-feira, 31 de março de 2010

Prémio Hans Christian Andersen 2010

 

image image image

Em cada dois anos o mais prestigiado prémio internacional para o livro infantil é entregue pelo IBBY a um autor e ilustrador cuja obra mereça reconhecimento pelo contributo prestado a este campo da literatura. Os vencedores deste biénio foram anunciados na Feira do Livro Infantil de Bolonha e receberão o prémio no congresso "A forza das minorías", do IBBY, em Santiago de Compostela.
A honra coube a dois artistas editados entre nós: o britânico David Almond e a alemã Jutta Bauer. O primeiro conta já com outros importantes prémios (The Carnegie Medal, o Whitbread Children's Book Award ou o Smarties Book Award). Em Portugal, encontram-se quatro títulos da sua autoria, editados pela Presença. A saber: O meu pai é um homem pássaro, Um cantinho no paraíso, O grande jogo e O segredo do senhor Ninguém.
Jutta Bauer é também uma autora galardoada com o prémio German Youth Literature Award. Da sua autoria encontram-se publicados em Portugal os livros” Quando a mãe grita “e “Selma”, pela Gatafunho, e A rainha das cores, pela editora A Cobra Laranja.
Folheá-los na livraria mais próxima é sempre um prazer que não deve ser dispensado.

Sandra Simões
Publicada no blog:O Livro Infantil

 

image

Bons momentos com as histórias

 

 

image      image image

 

image                                     image     image                                          image

terça-feira, 30 de março de 2010

No dia do Livro Infantil na Bertrand das Caldas da Rainha

image

 

image 

2 de Abril

Dia do Livro Infantil


Vanda Furtado Marques apresenta «A Padeira de Aljubarrota»

Vivaci Caldas da Rainha

Sexta-Feira, 02 Abril 2010, 15:00

No âmbito do Dia do Livro Infantil, a escritora Vanda Furtado Marques organiza uma sessão especial para as crianças, no dia 2 de Abril, pelas 15h, na livraria Bertrand Caldas da Rainha. Partindo de um dos seus mais conhecidos livros infantis, «A Padeira de Aljubarrota», a autora lê a dramatiza a história para as crianças.

 

sábado, 27 de março de 2010

Dia Mundial do Teatro

 

image 

“O teatro não deve ser elitista, reduzido a minorias esclarecidas, nem demagogo, obediente a cartilhas consumistas de multidões acríticas”

(Miguel Manso )

sexta-feira, 26 de março de 2010

Partilhas culturais- Portugal / Luxemburgo

Travei conhecimento com o  grupo  “ Oficina de Teatro"  formado por pessoas  excepcionais…

e com muita vontade de divulgar  a Língua Portuguesa  e o seu amor pelo teatro.

 

image

A Oficina de Teatro da Confederação da Comunidade Portuguesa no Luxemburgo foi criada em Maio de 2009, com o objectivo de preencher uma lacuna existente no panorama cultural da comunidade portuguesa neste país. A não existência de projectos nesta área e a necessidade de divulgar a língua e cultura portuguesas foram os motes para a criação de uma Oficina de Teatro, sem limite de idade e aberta a todos aqueles que gostam desta arte.

Blog: oficinadeteatroccpl.blogspot.com

terça-feira, 23 de Março de 2010

Participámos...

Sob a direcção da nossa encenadora Sónia Tomás, a Oficina de Teatro apresentou no dia 20 de Março - no 27º Festival das Migrações, Cultura e Cidadania - o conto infantil "O macaco que queria ser gente", da autora Margarida Cachada e com ilustrações de Andrée Staar.
Este conto foi apresentado em Francês e em Português e contou com a representação de Cláudia Cordeiro, como contadora de histórias, Nuno Trindade, na viola, Ricardo de Oliveira, São Alberto, Nuno Neves e ainda Sónia Tomás.

Estivemos...

A Oficina de Teatro da CCPL acompanhou, no dia 20 de Março de 2010, a escritora Vanda Furtado na apresentação dos seus livros, numa escola em Steinfort.

A actividade foi organizada pela Oficina em parceria e colaboração com a Associação Amigos 25 de Abril e Estrutura de Coordenação do Ensino do Português no Luxemburgo.

Para mais informações sobre a escritora, aceda ao blog:

http://vandafurtadomarques.blogspot.com/

retirado do blog: oficinadeteatroccpl.blogspot.com

quinta-feira, 25 de março de 2010

No salão do livro e da cultura – Festival das Migrações

image

No Domingo, a experiência no Salão do livro foi muito rica, muitos portugueses e os filhos quiserem vir recordar a nossa História de Portugal.

Estive com pessoas originárias de Alcobaça, que neste momento vivem no Luxemburgo,  e que  ali estiveram para apoiar a minha presença, tal como todos os outros que me apoiaram de forma muito calorosa.

Foi uma experiência inesquecível…

 

 

image image image

quarta-feira, 24 de março de 2010

Era uma vez… no Luxemburgo- Parte II

 

image 

 

A minha participação iniciou-se com uma deslocação a Steinfort, onde me esperava uma classe de crianças portuguesas.

Este grupo  aprende voluntariamente português ao Sábado, para não esquecer a Língua de Origem.

Eram jovens extremamente atentos e disciplinados, que só foram ganhando  espontaneidade, à  medida que as histórias foram sendo contadas.

A nossa História de Portugal, era praticamente desconhecida para eles, ainda lhes lancei algumas questões  básicas, mas apercebi-me  que era um mundo, que eles nunca tinham explorado.

Falei-lhes de reis e rainhas, das nossas lendas, de como é importante explorar as raízes do nosso passado.

Ficaram entusiasmados e acho que os despertei para uma nova realidade, alguns deles disseram- me  que iam contar aos pais o que tinham aprendido e  que quando fossem a Portugal nas férias, iam estar mais atentos  aos monumentos e à riqueza da  nossa História.

Fiquei satisfeita e as crianças saíram da sala com um brilho no olhar e com um ar mais sonhador…

 

 

image image

terça-feira, 23 de março de 2010

Era uma vez… no Luxemburgo

image image

Aterrei no Luxemburgo, na Sexta-feira (19), com uma grande vontade de poder dar o meu contributo  como portuguesa, escritora e cidadã do mundo.

Luxemburgo é um país no coração da Europa, extremamente organizado, limpo, com um ar muito nórdico a nível das construções, telhados em forma de agulha, altíssimos, castelos e castelinhos… parece um país saído dos contos de fadas.

As bicicletas abundam pelas ruas e os corvos são os pássaros  que voam por toda a  cidade do Luxemburgo.

 

image

Os emigrantes lusófonos no Luxemburgo são imensos, 1 em cada 5 pessoas no Luxemburgo fala português.

Em cada esquina, nos cafés, nos restaurantes, hotéis, ruas  ouve-se falar português.

A nossa comunidade está representada por inúmeras associações que defendem e lutam pelos interesses dos portugueses, em todos os níveis- cultural, social, político e  económico.

Depois entrei no espaço da Festival das Migrações e do salão do livro e da Cultura.

Adorei…  ver culturas de todos os cantos do mundo, que coabitam no Luxemburgo.

Respirava-se, saboreava-se e sentiam-se sons africanos, latinos, asiáticos, nórdicos, num ambiente de fraternidade e comunhão.

Todos estavam ali para dar o seu contributo para um mundo melhor … sem barreiras raciais e culturais.

Que grande exemplo !

 

image image

 

No próximo episódio vou falar da minha experiência junto das crianças e de como a nossa História de Portugal encantou …

A minha Visita na Comunicação Social

Expresso

23/03/2010 actualizado às 15:08

Gazeta das Caldas
Escritora de Alcobaça presente no Salo do ...  «  Gazeta das Caldas  «  Rede Expresso  «  Blogues  « Página Inicial |

Escritora de Alcobaça presente no Salão do Livro e da Cultura em Luxemburgo

Vanda Furtado Marques, a escritora de livros infantis alcobacense, vai participar no 10º Salão do Livro e das Culturas que se realiza este fim-de-semana em Luxemburgo. Na tarde de domingo, dia 21, a escritora e contadora de histórias vai animar o espaço de animação infantil da Feira Internacional do Luxemburgo, dirigindo-se especialmente às crianças portuguesas que ali vivem.

Gazeta das Caldas / Joana Fialho

Gazeta das Caldas - Escritora 
de Alcobaça presente no Salão do Livro e da Cultura em Luxemburgo

Nos sete livros que já tem publicados, Vanda Furtado Marques recupera algumas das mais romantizadas lendas e figuras da história de Portugal. D. Pedro e D. Inês de Castro, a Rainha Santa Isabel e D. Dinis, D. Filipa de Lencastre e D. João I são os casais reais cuja história a autora (que é professora de História de profissão), passou já para uma linguagem simples, em forma de história de encantar, despertando nos mais pequenos o interesse pela história, o património e a cultura de Portugal. A estes juntam-se edições sobre a Padeira de Aljubarrota, D. Nuno Álvares Pereira e as lendas de D. Fuas Roupinho (ligada à Nazaré) e da Fonte da Senhora (associada à formação da vila da Benedita).

Em Luxemburgo estas histórias serão contadas em português e interpretadas em francês.

Numa feira em que participam centenas de escritores e editores de vários pontos do mundo, com especial destaque para a França, Luxemburgo e Bélgica, Vanda Marques conta com outros colegas portugueses, conhecidos pelos seus talentos de contadores de histórias. No mesmo dia o Salão do Livro e da Cultura conta ainda com as participações de António Torrado e António Vasconcelos Nogueira.

 

 

quarta-feira, 17 de março de 2010

Irena Sendler ...sabes quem era?

Irena Sendler

image image

Durante a 2ª Guerra Mundial, Irena conseguiu uma autorização para trabalhar no Gueto de Varsóvia, como especialista de canalizações.
Mas os seus planos iam mais além... Sabia quais eram os planos dos nazis relativamente aos judeus (sendo alemã!)
Irena trazia meninos escondidos no fundo da sua caixa de ferramentas e levava um saco de sarapilheira, na parte de trás da sua camioneta (para crianças de maior tamanho). Também levava na parte de trás da camioneta, um cão a quem ensinara a ladrar aos soldados nazis quando entrava e saia do Gueto.
Claro que os soldados não queriam nada com o cão e o ladrar deste encobriria qualquer ruído que os meninos pudessem fazer.
Enquanto conseguiu manter este trabalho, conseguiu retirar e salvar cerca de 2500 crianças.
Por fim os nazis apanharam-na e partiram-lhe ambas as pernas e os braços e prenderam-na brutalmente.
Irena mantinha um registo com o nome de todas as crianças que conseguiu retirar do Gueto, que guardava num frasco de vidro enterrado debaixo de uma arvore no seu jardim.
Depois de terminada a guerra tentou localizar os pais que tivessem sobrevivido e reunir a família. A maioria tinha sido levada para as câmaras de gás. Para aqueles que tinham perdido os pais ajudou a encontrar casas de acolhimento ou pais adoptivos.
No ano de 2007 foi proposta para receber o Prémio Nobel da Paz... mas não foi seleccionada; quem o recebeu foi Al Gore por uns diapositivos sobre o Aquecimento Global 
Não permitamos que alguma vez, esta Senhora seja esquecida!!

image

Tradução do cartoon:
Menina:Tenho que lhe dizer uma coisa, senhor... Tem no seu braço uma tatuagem sem graça nenhuma. É só um montão de números.
Senhor: Bem teria a tua idade quando ma fizeram. Mantenho-a como uma recordação.
Menina: Oh! ... Uma recordação de dias mais felizes?
Senhor: Não, de um tempo em que o mundo ficou louco.
"Imagina-te a ti mesma num país em que os teus compatriotas seguem a voz de um político extremista que não gostava da tua religião.
Imagina que te tiravam tudo, que enviavam toda a tua família para um campo de concentração, para trabalhar como escravos, e ser assassinados sistematicamente. Nesse sitio te tiravam até o teu nome para ser substituído por um número tatuado no teu braço.
Chamou-se a isso O Holocausto, quando milhões de pessoas foram mortas só pelas sua crenças religiosas..."
Menina: Então tu usas essa tatuagem para recordares o perigo das políticas extremistas!
Senhor: Não, querida. É para que tu o recordes.

Quando os alunos nos ajudam a concretizar os nossos sonhos

 

Que belo folheto feito pelo Paulo.

image

 

 

image

segunda-feira, 15 de março de 2010

Os jardins também podem ser uma forma de ler o mundo

image image

 

Hoje fui a  uma visita de Estudo, à Quinta da Regaleira em Sintra, com os meus alunos das artes.

Descobri coisas fantásticas… como aprender a ler  um jardim.

Foi para mim , um desafio fantástico e inquietante… Como iria eu lar um jardim?

Devo dizer que foi uma experiência maravilhosa.

Percorrer os jardins da Regaleira é como que abrir um livro, onde o mistério, fantástico e esotérico

nos envolvem de uma forma avassaladora. Fui passando por diversas emoções, que eu pensava só poder sentir

nos livros.

Já me estava a imaginar a “escrever” um Jardim, um espaço mágico onde as crianças pudessem ser desafiadas a percorrer caminhos, desistir de outros, vencer obstáculos, lutar contra as angústias até  chegarem  à luz da verdade.

Por tudo isto e por muito mais vale a pena ir à Regaleira.

sábado, 13 de março de 2010

Todas as culturas devem tricotar para reduzir a descontinuidade mundo

 

image 

Au festival, les cultures tricotent pour réduire la discontinuité du monde avec la mondialisation rapide des échanges, les héritages, les mémoires, les traditions, les identités se recomposent dans l’ensemble de nos sociétés. Le passé ne semble plus assez structuré pour donner sens à notre présent : les transmissions des temps collectifs, les habitudes, les rituels semblent s’évanouir au cœur des nations qui se ré-inventent à l’Est, se supra-nationalisent à l’Ouest, ou sont à la recherche d’un équilibre entre foi et raison au Sud. Des commémorations se consumérisent et le fracas du monde, la recomposition des références politiques, la destruction des héritages sociaux bouleversent les solidarités, transforment les identités et nous obligent à redéfinir de nouvelles citoyennetés que nous pensions certaines.

.http://www.clae.lu/

sexta-feira, 12 de março de 2010

Para a semana lá vou eu rumo ao Luxemburgo.

 

A convite da associação 25 de Abril, vou viajar para o Luxemburgo, para levar as minhas histórias e promover a História de Portugal junto dos nossos emigrantes.

Terei também a oportunidade de ir a algumas Escolas, contactar directamente com estes meninos.

Devo-vos dizer que irei saborear cada momento, com a maior intensidade possível.

Prometo que irei fazer o meu melhor…

A D. Inês , a Padeira de Aljubarrota e a Santa Isabel, irão encher de magia, o salão  do Luxemburgo.

 image

 

 

image

Aqui estou eu, entre tanto escritor de todo o mundo… para aprender cada vez mais e ouvir experiências de vida

que me possam tornar uma pessoa melhor.

Quero agradecer o apoio constante do Rogério Raimundo e amigos de lutas comuns , Jero , Àurea, Anabela, Frank, Região de Cister e Tinta Fresca, que me tem ajudado a voar cada vez mais alto, mas  sempre com humildade e entrega.

Obrigadão

quarta-feira, 10 de março de 2010

Sinto-me uma fada das histórias

 

Quando eu vou contar histórias, a minha essência transforma-se e eu sinto-me uma autêntica fada.

Fada das Histórias

fada

Nas faces,  levo um sorriso rasgado e maroto, de quem leva o maior segredo do mundo.

Nas costas, umas asas cintilantes, que me fazem voar para mundos de encantar

Da minha pele exala o aroma das flores, que sorriem na primavera.

O meu riso, genuíno de criança  faz cócegas  deliciosas nos ouvidos das crianças.

Da minha boca saem palavras de sonho e encantamento que fazem alimentar a  alma.

Do meu coração palpitam os  sons que tecem as linhas da fantasia.

Ah!..  e os meus olhos, ganham a cor da infância, e com eles abro janelas para um enorme arco-íris de esperança.

 

escrito e criado
Vanda Furtado Marques

Histórias e mais histórias

Que o ciclo dos contadores de histórias possa ir aumentando…

 

A Padeira no Carvalhal de Turquel

image                    

                              image

                         Professor Fraga também conta histórias

                  image

                                  A Áurea deu-nos a experimentar o sabor da lua

                             image

                                    A sala das histórias da Terra mágica das Lendas

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin