domingo, 31 de maio de 2009

Vivam as crianças

Amanhã, dia 1 de Junho, comemora-se  o dia da Criança.

Para vocês, com muito amor.

image

    

 

A criança é mais sábias do que os os grandes sábios e intelectuais adultos.

Quando fala…   inunda-nos de bolhinhas em forma de coração.

Quando sorri… amolece-nos o coração e derrete-o  como se fosse manteiga.

Quando chora… precisamos de um chapéu de chuva  para a alma.

Quando brinca… transforma uma simples pedra num gigante das histórias.

Quando pensa… enche o mundo de balões  coloridos .

Quando dorme… os carneirinhos dos sonhos fazem-nos mé…mé …

Quando está triste…até fazemos piruetas e saltamos montanhas.

Quando nos abraça… as raízes do amor multiplicam-se criando flores vermelhas.

texto de Vanda Furtado Marques

Um muito, muito obrigada, a todas crianças do mundo

sábado, 30 de maio de 2009

O bailado das Borboletas

 

Desde ontem que uma autentica peregrinação de borboletas

atravessa os nossos céus.

Não sei a razão deste fenómeno… mas é lindo, lindo de se ver.

 

Bailado das Borboletas 

 

   image

Abriram-se as portas minúsculas  das casinhas das árvores.

De cada casa, dez borboletas fofinhas, saíam das suas caminhas.

Sacudiam as suas asas, compunham os seus fatinhos e esticavam

os seus pés delicados.

Puseram-se em posição, ouviu-se o apito… 1,2,3… partida.

Os céus encheram-se de borboletas, que dez a dez , iam crescendo, até ficarem

mil, dois mil, três mil.

Estavam verdadeiramente felizes… podiam finalmente, sentir o sabor do vento,

o quentinho do sol e o cheiro das flores.

Se olhássemos bem… via-se o pozinho de borboleta que se ia soltando.

Cada uma abria o seu saquinho e enchia  o mundo de magia.

Sim, pois todos nós sabemos, que as borboletas são fadas  disfarçadas.

 

escrito por Vanda Furtado Marques

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Fomos à descoberta de Alcobaça

Fui, no dia vinte seis de Maio, com 75 crianças da Escola EB1/JA dos Candeeiros e as respectivas professoras e auxiliares à descoberta de Alcobaça

Começamos no Castelo, que pouco se via , pois o matagal que que o envolvia, era enorme.

Apesar deste contratempo, não desistimos e lá foi a criançada toda, para junto das muralhas ouvir  a Lenda do Castelo e do Ben Almansor.

Depois, como a descer todos os santos ajudam, lá fomos até ao Mosteiro.

Junto dos túmulos contei-lhes a minha história “O Amor de Pedro e Inês – Contado aos Pequenotes”.

Partindo da história fomos descobrir coisas giras nos túmulos.

Como disse uma menina:

          - “Os anjos estão a deitar a Inês na almofada Real.”
ou
          - “O cão que guarda o D. Pedro é grande, porque ele era um rei forte.”

Foi uma visão infantil, mas muito interessante dos túmulos mais belos do mundo inteiro.

Ah!, mas eles queriam mais…
Fomos para o  novo jardim onde se juntam os rios Alcoa e Baça e aí contei-lhes a “Lenda de amor entre o Alcoa e a Baça”. Eles gostaram especialmente da parte em que o Alcoa arrependido, pede à Baça para  que unam as suas águas e passem  a  correr juntos no mesmo leito.

Foi uma experiência lindíssima.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Era uma vez uma princesa de olhos grandes

image

Era uma vez uma princesa de olhos grandes.

Por estes olhos ela via mundos e sonhos jamais alcançados.

Quando a princesa arregalava os seus  grandes, grandes olhos parecia que nos engolia .

Ah! e quando entravamos no seu mundo, que força e paixão

nos movia.

Percorríamos túneis e labirintos, subíamos e descíamos

de elevador.

Que vontade dava continuar naquele sobe e desce…

Mas, quando princesa arregalava ainda mais e mais os olhos,

tudo tremelicava e a diversão parava.

Acabava-se a brincadeira e voltávamos cá para fora.

Ás vezes  ficávamos ali horas e horas parados à espera que a princesa se zangasse um bocadinho… mas não muito.

Pois, porque só quando ela se zangava um bocadinho,  é que os seus grandes, grandes olhos se arregalavam uma vez… e a diversão começava.

texto de Vanda Furtado Marques
imagem de Júlio Vanzeler

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Meditar sobre o livro Infantil

Ao comprar um livro infantil, ainda existem mitos e preconceitos à volta desse mesmo livro.

Blog "O Livro Infantil". Visita que vais gostar.

Segundo o Blog “O Livro Infantil”, aqui ficam alguns deles:

Preconceitos quanto ao objecto “livro”:
- só os livros de capa dura têm valor;
- os livros mais finos, de capa mole, não valem a pena;
- não valem o investimento porque podem ser lidos rapidamente numa livraria;
- os livros infantis não valem mais que 5 euros.

Preconceitos quanto ao conteúdo (texto e ilustração):
- os livros infantis são um género menor dentro da literatura;
- são livros fáceis, de conteúdo directo;
- têm uma estrutura interna formatada (no sentido de ser rígida: introdução, desenvolvimento e conclusão);
- devem imitar as obras para adultos;
- é mais importante o texto do que as imagens;
- deve haver uma correspondência directa entre o texto e a imagem;
- há temas tabu;
- as imagens não podem ser assustadoras;
- devem ser coloridas, com recurso a cores “bonitas” (ausência de cores escuras e, em especial, de negro).

Preconceitos quanto ao público a quem se destinam:
- destinam-se unicamente às crianças, ou seja, têm um público-alvo pré-determinado e bem definido (faixa etária);
- os livros têm uma classificação por género, ou seja, há livros para rapazes e livros para raparigas;
- os pais não lêem livros aos filhos ou não os compram porque as crianças não percebem, não lêem ou não sabem ainda ler; ou então porque as crianças preferem outras coisas;
- os próprios pais não têm tempo para ler aos filhos.

Preconceitos quanto à autoria:
- são assinados por escritores menores e ilustrados por aqueles que não conseguiram ser pintores;
- os livros para crianças não precisam ter grande qualidade global;
- o autor e o ilustrador não têm que estar em contacto, quando fazem o livro;
- os livros infantis são parte de um universo feminino (são as mulheres que se interessam por eles).

Preconceitos quanto aos objectivos:
- os livros infantis têm objectivos didácticos e pedagógicos;
- o grande objectivo dos livros infantis é a transmissão de uma moral;
- a sua concepção obedece sempre a uma finalidade;
- não proporcionam uma leitura literária.

Visita este excelente Blog, que vais gostar, tal como eu adorei.
Eu recomendo-o:
“O Livro Infantil”  -  http://olivroinfantil.blogspot.com/

sábado, 23 de maio de 2009

Teatro “Para sempre era uma vez, o Amor de Pedro e Inês”

É com este esplêndido grupo de teatro, que eu tenho o privilégio de narrar a  peça  “Para sempre era uma vez o amor de Pedro e Inês”Jornal Região de Leiria

“Os ensaios, da peça ‘Para sempre era uma vez, o amor de Pedro e Inês’, decorrem quatro vezes por semana, entre o Mosteiro de Santa Maria [Mosteiro de Alcobaça], auditório Biblioteca Municipal e Cine-teatro.
Bruno, Carla, Felisbela, Hélder, João Carreira, João Murraças, Marco, Fátima, Pedro, Sérgio e Tânia são os utentes do CEERIA que dão voz e corpo às personagens que compõem a história. Juntam-se em palco também Olga Santos, mãe de um dos protagonistas, bem como a escritora Vanda Maria Furtado Marques, que narra a história.
A persistência e dedicação de Sandra Coelho, encenadora e actriz, Rui Clemente, coreógrafo e actor, são as traves mestras deste projecto, que decorre no âmbito de Centro de Actividades Ocupacionais, coordenado por Goreti Peça. Os adereços de cenografia utilizados em palco foram construídos na Oficina de Azulejo, ministrada José Luís Borda.”

notícia retirada da Jornal Região de Cister

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Ser professor é partilhar afectos

Não resisto em contar-vos um lindo episódio que me aconteceu numa aula de História do 9ºano. Estava  a falar do  nascimento da sociedade de consumo, e das consequências nefastas que esta trouxe para o mundo. Nomeadamente, a enorme competição, a insatisfação, o triunfo dos valores economicistas e abismo cada vez maior entre o primeiro e o terceiro mundos.

E estávamos, nós num animado debate, quando um aluno me questionou: - Há lojas e escolas como as nossas em África?

Foi aí que me lembrei de lhes mostrar a fotografia da Fátima, a minha afilhada, que vive em Moçambique, no meio de uma aldeia, perdida no mato.

Tive que passar a fotografia carteira a carteira e eles estavam perplexos, com o local onde ela morava.

Foi, então que eles se conseguiram aperceber, o que era viver no meio do mato, sem escolas como a deles, sem roupa de marcas, sem centros comerciais e televisão e computadores.

Mas o maravilhoso, foi a preocupação deles e a vontade de ajudar e  até acho que alguns, puseram-se pela primeira vez na pele de uma criança africana. Foi uma partilha incrível.

Por tudo isto ira nascer um dia destes a história da “Fátima a menina cor de chocolate”.

Se quiseres saber mais sobre os apadrinhamentos: www.helpo.pt

terça-feira, 19 de maio de 2009

Numerologia nos contos infantis.

A numerologia  funciona, como um elemento  simbólico, nos contos infantis.

Os números mais encontrados são o 3 , 4 e o 12.

O três é associado à sagrada família, à Santíssima  Trindade. A composição do homem (corpo, alma, espírito). As três esferas concêntricas do Universo: natural, humano e divino. Os três ciclos de vida: nascimento, apogeu, morte.

Contos: “Três fios de ouro do cabelo do Diabo”, “Três Porquinhos”, entre outros.

O sete é o número mágico, por excelência. Na Bíblia aparece 77 vezes. No quotidiano, temos os sete dias da semana, sete notas musicais, sete cores do arco-íris, sete pecados mortais. Diz-se que representa a totalidade do Universo em movimento.

Contos: “Os sete cabritinhos”, “Branca de neve e os sete anões”

O número doze é visto como figuração de um ciclo completo, como símbolo da ordem cósmica, ou seja, como perfeita representação do mundo manifestado ordenadamente.  A expressão mais completa do simbolismo do doze é o zodíaco composto por doze signos que são as estações percorridas pelo sol no seu circuito anual.

Contos: “As doze princesas” e “Os doze irmãos”

Se se lembrarem de mais contos, com esta numerologia dêem  uma ajuda.

Que roupa gira para a pequenada

Adorei esta roupa alternativa para os miúdos.

Visite o blog:

lojapiripiri.blogspot.com

image image image

 

image

domingo, 17 de maio de 2009

Quem resiste a estes gatitos fofos

 

Eu já tenho três gatos lindos, não posso adoptar mais nenhum.

Pois está proporcional  ao número de filhos.

Mas olhem para estas caras larocas.

Quem quer ajudar?

Estes gatinhos lindos estão à procura de novos donos.

Caso os queiram adoptar contactem Susana Coelho no

Veterinário CisterVet no Lameirão em Alcobaça.

Contactos:

Susana – 916946199

image

sexta-feira, 15 de maio de 2009

As Padeiras estão amanhã na Feira do Livro de Lisboa

 

Amanhã dia dezasseis de Maio, vamos dar vida à nossa Brites de Almeida.

Às quatro horas, na Praça Infantil, vamos animar a criançada.

Apareçam.

 

CIMG0782image

Programa da Feira

15h30

A Hora do Conto: Uma Vaca de Estimação, Luísa Ducla Soares, Civilização. Contadora: Cláudia Stattmiller. Biblioteca Municipal de Oliveira do Bairro.

EPLL1 e EPLL2

16h00

Apresentação do livro "Amália a divina voz dos poetas e de Portugal" de Rui Martins Ferreira

Auditório

16h00

A padeira de Aljubarota, de Vanda Marques, com ilustações de Suzanne Estevão da Silva

Praça Infantil

Um Viva para o Dia da Família

Eis o belo recado, que trazia a pombinha da paz, que a minha princesa pequenina fez na Escolinha  dela.

 

PROF, VANDA PROF, VANDA 001

trabalho realizado no Centro Paroquial de Turquel

terça-feira, 12 de maio de 2009

Vamos reforçar a importância dos valores

 

image

 

Ao escrever histórias para crianças , tenho que indubitavelmente, abordar os valores primordiais.

Valores como a bondade, partilha, fé, solidariedade, integridade, respeito, paz e amor, são pilares cruciais

na educação das crianças.

Através das histórias nós podemos ir incutindo estes valores,de forma subtil, metafórica e simbólica.

Não precisamos de forçar os assuntos ou fazer abordagens demasiado moralistas. Com a leitura das histórias

as crianças vão seguindo o desenrolar do enredo e vão  vivenciando e experimentando, muitos desses valores.

Posteriormente, conseguem retirar as suas conclusões e falar com grande sabedoria sobre os valores abordados.

Como diz Isabel Leal “ O poder da palavra, ou o conceito que a palavra encerra, abre um mundo de possibilidades.

Palavras como paz, harmonia, honestidade, coragem, compaixão, força, energia, bondade, sabedoria

e tantas outras transportam-nos, pelo bem-estar que causam, para um sorriso”.

Por isso contem muitas e boas histórias às crianças.

domingo, 10 de maio de 2009

A envolvência de contar histórias

 

 

image

 

Ouvir histórias, foi durante séculos um dos grandes entretenimentos da sociedade.

Mas o local escolhido para a narração, tem também uma grande e longa história.

“Contar perto do fogo ou da água parece ser um costume universal. O fogo e a

água servem de protecção, como o vidro da janela através do qual os mundos

se vêem, mas não se penetram. O fogo sempre foi visto como um elemento protector .

A água é o símbolo da vida. Possui virtudes purificadoras.” ( Maria Emília Traça)

Por isso ainda hoje há povos que mantém este costume  e as histórias são narradas nestas ambiências.

Para contar uma história tem que se criar ambiente… temos de envolver os ouvintes,   temos de ser como

os Mágicos que com o seu estalar de dedos, nos proporcionam momentos de encantamento e magia.

Por isso contar histórias em ambientes muito barulhentos, com pessoas a entrar e a sair, torna-se uma tarefa

dura e frustrante.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

A Padeira foi a Lousã

Mediante, o convite do Vereador da Educação da Lousã, Dr. Jorge Lopes

fui levar a Padeira de Aljubarrota  para terras serranas.

As crianças fascinaram-se com as peripécias da Brites de Almeida e

é claro com os seus seis dedos e os seus grandes músculos.

Foi adorável.

Obrigado por tudo

Obrigado ao meu editor Manuel Reis

image

“Durante o dia de hoje, de destacar ainda o encontro com as escritoras Vanda Furtado Marques e Márcia Trabulo; o teatro de sombras “A que sabe a lua?” e “O macaco do rabo cortado”; as iniciativas Papel Mágico, Palavra Puxa Palavra Histórias e Não Só; a Oficina de Poesia com José António Franco; e a sessão “Ler por prazer: poesia sensual”. Às 22h30 o Núcleo de Gastronomia e Doçaria Regional da Serra da Lousã apresenta o álbum “Receitas de Sedução”, uma sessão que conta com a presença dos autoras e de provas gastronómicas de doçaria.”

in jornal O Despertar

quinta-feira, 7 de maio de 2009

A minha amiga estrelinha curiosa

 

A minha amiga Leonor Lourenço, que escreveu “ O Mistério da  Estrelinha Curiosa", é  cá das minhas,

encanta a criançada vestida de  estrela.

Parabéns Leonor pelo teu trabalho.

Blog da Leonor: leonorlourenco.blogspot.com

 

image

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Já lançamos o novo livro

image

Hoje, dia seis de Maio  fizemos a apresentação do livro “ A Lenda da Fonte da Senhora”

na feira do livro do Externato Cooperativo da Benedita.

A edição do livro foi do próprio Externato e tivemos um público numeroso para

nos receber.

Obrigado a todos que puderam estar presentes.

 

image image

terça-feira, 5 de maio de 2009

O Amor de Pedro e Inês

Hoje fui contar às crianças do Jardim de Infância dos Arneiros “ O Amor de Pedro e Inês”

Apresentei-me como  a princesa Inês de Castro, e as crianças entraram, na perfeição no

jogo  do faz de conta.

Foi muito belo  emotivo, a maneira como as crianças escutaram esta história.

Perceberam perfeitamente , até onde pode levar, a força da paixão.

Estas conversas com as crianças relembram-nos , como o amor é a

força motriz da humanidade e que, é com esta força poderosa, que nós

devemos orientar os nossos caminhos.

Não resisti a esta poesia de Eugénio de Andrade…

16-10-2008_(1).jpgines

É urgente o amor

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.
É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.
É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.
Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer. 

Eugénio de Andrade

segunda-feira, 4 de maio de 2009

A lenda da Fonte da Senhora

 

Aqui está a capa do meu novo livro.

A Lenda da Fonte da Senhora, com belíssimas ilustrações da Susanne Estêvão da Silva.

É uma Lenda muito interessante e emotiva.

A partir de Quarta-feira já está disponível.

image

domingo, 3 de maio de 2009

Para as Mães

 

image 

 

Hoje em dia ser mãe é um grande desafio.

Somos  assoladas por mil dúvidas, por inseguranças, pelo trabalho extenuante, por birras, por teorias de psicólogos.

A tudo  isto temos que saber dar resposta.

Somos umas verdadeiras heroínas.

Aqui ficam algumas frases, ditas  por crianças, sobre as

suas Mães.

image 

A mãe é amiga porque ela conta histórias.

Gosto dela até à Lua.

 

Gosto da Mãe porque ela dá-me miminhos.

A Mãe é fofa, eu faço desenhos

e ela fica contente.

Eu gosto dela, porque ela faz promessas

e é gira.

A Mãe faz-me rir quando me faz cócegas na barriga.

Adoro-a.

sábado, 2 de maio de 2009

LANÇAMENTO DO NOVO LIVRO

 

Olá aqui fica o convite para o lançamento do meu  novo livro infantil  a ” Lenda da Fonte da Senhora”

ilustrado por Susanne Estêvão  da Silva.

Será também lançado o livro do professor Maurício “Cartofília- Coleccionismo e Memória”

O lançamento será na quarta-feira, dia 6 de Maio, pelas dezoito e trinta.

Estão todos convidados a comparecer.

 

clip_image002

Um especial dia 1 de Maio

 

 

image image

 

  Este dia teve um sabor muito especial para mim.

Primeiro porque se comemorava o dia do Trabalhador, segundo

porque ia ser a minha estreia numa peça de teatro.

Graças a um convite do CEERIA ( Centro de Educação Especial

Reintegração, Integração de Alcobaça), fui actuar como narradora  no teatro

Era uma vez o amor De Pedro e Inês”.

Para mim foi, uma experiência fantástica, adorei a partilha e

o esforço conjunto e todo o carinho que os outros actores me manifestaram.

Acho que esta peça é admirável  e uma grande lição de força

coragem e amor.

Obrigada à Sandra pelo convite.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin