quarta-feira, 29 de julho de 2009

Ping uma rã à procura de um novo lago

Este livro fantástico que nos ensina a ser cada vez melhores, atentos aos outros, solidários e, nos maus momentos dá-nos força, como a Ping, que teve de lutar arduamente, para encontrar um novo lago para sobreviver.

Aqui fica um excerto lidíssimo:

Ping estava aflita porque tinha de saltar um enorme rio, com correntes fortíssimas, para chegar a um novo lago. Ping olhou para as águas traiçoeiras.

O Mocho disse-lhe: Um rio não te forma.Só é contido pelos limites que talha a si próprio.

Também tu és como um rio. Ping respondeu: Espero reunir as  condições.

O Mocho calmamente, respondeu: Para viveres uma vida intencional são necessárias a convicção e a vontade. Com estas duas coisas tudo é possível.

O caminho não se encontra no céu, o caminho reside no coração (...)

Não é aquilo que aprendes, mas o que fazes com a aprendizagem que te diferenciará.Podes cumprir o teu destino ajudando os outros. É possível acender mil velas  a partir de uma.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Passe pelo Armazém das Artes em Alcobaça

 

Aproveite as férias e respire arte em Alcobaça.

 

 

image image

 

O Armazém das Artes-Fundação Cultural convida para as suas exposições de verão:
      "PINTURA COM AFECTOS"
     "DESENHOS DE JÚLIO RESENDE"
     "MEMÓRIAS" - ANA FERNANDES 
     "COLECÇÕES" - NÚCLEO MUSEOLÓGICO

É sempre bom dar um pouco de nós aos outros

 

 

image image

Estou quase de férias, esta semana, Algarve à vista… mas um Algarve

muito especial, A ilha do Farol, um espaço ainda em estado quase puro,

com uma água límpida  e um ambiente propício ao descanso.

Ainda pensei agora é descanso e desligo de tudo.

Mas…

O doutor Luís Villas Boas, Director do Refúgio Aboim Ascensão , perguntou-me se eu podia dar

um pouco das minhas férias para ir encantar umas crianças que

precisam de sonhar.

Quem poderia resistir a este pedido?

Pois é com todo o gosto que eu irei a Faro ter com estas crianças.

Dar um pouco de nós , só nos torna pessoas melhores.

domingo, 26 de julho de 2009

“D. Fuas Roupinho” no blog “Era uma vez, Conta outra vez”, da Leonor Lourenço

O “D. Fuas Roupinho”, já anda pela internet.

Será que anda a caçar veados? Ou anda a divulgar a sua história, tal como prometeu, como agradecimento pelo milagre de que foi alvo?

Vê pelos teu próprios olhos em:

http://leonorlourenco.blogspot.com/2009/07/parabens-vanda.html

Obrigado Leonor, gostei muito.

E tens toda a razão, as ilustrações do Gabriel Colaço… Espectaculares!

 

Ilustrações do livro do “D. Fuas Roupinho”

Aqui ficam alguns exemplos das belíssimas ilustrações do Gabriel Colaço, para aguçar

a vossa curiosidade.

 

 

Lançamento do “D. Fuas Roupinho” na Nazaré

Foi no sábado 25-Julho-2009,  que o livro D. Fuas Roupinho foi lançado na Biblioteca da Nazaré.

Após a sessão de apresentação, assumi o papel de contadora de histórias.

Assim, como princesa da corte de D. Afonso Henriques, contei a história do meu cavaleiro favorito. Até ganhei como troféu  do meu cavaleiro, o elmo, que  ele usava nas lutas contra os Mouros.

Vou por isso contar-vos a história do cavaleiro mais bravo e forte de toda a Península Ibérica.

Era uma vez…

D. Fuas que  era o  guardião do imponente Castelo de Porto de Mós.

Um dia… encontrou a imagem da Nossa Senhora que se escondia entre as rochas.

Que brilho e beleza irradiava…

 

Eu a colocar o elmo do D. Fuas  na minha cabeça, a pedido de uma criança.

domingo, 19 de julho de 2009

Estas iniciativas devem ser promovidas

Tive o prazer de conhecer algumas destas educadoras do agrupamento de Porto de Mós e o seu grande entusiasmo pelas Histórias da História era notável. Estas Escolas fizeram um trabalho excelente na promoção da nossa História de Portugal. Aqui fica a reportagem:

“Cerca de 200 crianças dos jardins de infância da Calvaria de Cima, Cruz da Légua, Cumeira de Cima, Fonte do Oleiro, Pedreiras, São Jorge e Tremoceira, participaram na festa de encerramento do projecto “As histórias da História”, que decorreu pela primeira vez este ano lectivo.
Princesas, dragões, bruxas, guerreiros e padeiras “valentonas” passaram pelo Castelo numa divertida peça de teatro idealizada e levada à cena pelas educadoras desses estabelecimentos de ensino pré-escolar.
Esta foi a forma, original, escolhida para encerrar um projecto que levou os miúdos a visitarem alguns dos principais monumentos da região e a conhecerem um pouco das histórias e lendas a eles associadas e que culminou com a realização de um pequeno roteiro turístico.
Tal como nos explicaram as educadoras de infância, Anabela Guerra e Esperança Macedo, “As histórias da História” é um dos vários projectos levados a cabo, este ano lectivo, por alguns dos jardins de infância do Agrupamento de Escolas de Porto de Mós e que visou “proporcionar às crianças o conhecimento da sua própria cultura e da tradição oral; dinamizar as lendas e as histórias como um veículo de acesso a novos saberes; explorar de forma lúdica e sempre que possível no local, algumas das lendas relacionadas com o passado histórico da região; estimular a imaginação e a criatividade das crianças, fomentar o intercâmbio entre os diversos jardins de infância e envolver a comunidade educativa na vida da escola”.
De acordo com as educadoras, o balanço é bastante positivo. “Temos uma dinâmica de grupo espectacular. Além de já nos conhecermos, em termos profissionais, há muitos anos, une-nos uma grande amizade, o que nos leva a fazer estes trabalhos que implicam um grande investimento pessoal e muitas horas de trabalho fora do período lectivo normal”, explicaram.
Anabela Guerra e Esperança Macedo acreditam que esse empenho que colocam nas coisas e o prazer e a alegria com que o fazem, acaba por contagiar as próprias crianças. “Aprendem a brincar e isso é bom.” (…)

Escrito por Isidro Bento

sábado, 18 de julho de 2009

A Essência de todo o Projecto "Contado aos Pequenotes"

Todo o Projecto "Contado aos Pequenotes" nasceu de uma profunda convicção, que se tornou na Essência que norteia todas as minhas iniciativas relativas a este projecto.
Essa Essência é constituída por Seis Pontos Basilares que gostava de partilhar contigo:
  1. Contar episódios da nossa História de Portugal com uma linguagem simples, encantada e carinhosa, de forma a levar as crianças a descobrir a riqueza da nossa cultura.
  2. Levar as crianças a Descobrir Valores que cada vez mais se vão desvanecendo na nossa sociedade.
    No "O Amor de Pedro e Inês" abordei a importância do amor incondicional;
    No "O Milagre de Isabel e Dinis" a partilha e a gratidão; e
    Nos restantes livros da colecção outros valores vão imergindo.
  3. Abordar a História do Ponto de Vista Feminino ao demonstrar que as Rainhas tiveram um papel fulcral na nossa História e que juntamente com um grande Rei existiu sempre uma grande Rainha.
  4. Permitir que as crianças vejam o Lado Humano dos Reis e Rainhas e que isso lhe possibilite descobrir que as decisões e os actos por eles realizados também lhes criaram indecisões, dúvidas, ódio e sacrifícios e transformações.
    No fundo através destas histórias as crianças poderão rever-se a si e aos outros.
  5. Levar as crianças, e respectivas famílias, a Visitarem os nossos Monumentos e Locais Históricos descobrindo-os e vendo-os sob uma nova perspectiva, já influenciada pelos pontos anteriores.
    Isto é, sabendo que todas as pedras que os constituem, foram testemunhas das histórias e vidas reais de seres humanos, que através das suas acções os levaram a ser importantes para aquilo que somos hoje como povo e como pessoas.

    e, "Last but not the least"
  6. Oferecer às crianças Encantamento e Magia, pois é muito mais fácil cativar as crianças para o Mundo da História através da linguagem dos contos de fadas.
O Projecto "Contado aos Pequenotes" é composto por vários componentes, uns já em realização e outros ainda em fase de idealização e implemantação:
  • A Colecção de Livros intitulada "Contado aos Pequenotes", onde de publica Estórias da História de Portugal, dirigidas as crianças dos 2 aos 12 anos;
  • A Leitura destes Livros e o Contar das respectivas histórias directamente às crianças em workshops e atliers que as envolvam e incentivem a querer saber mais sobre cada uma das personagens da estória;
  • Incentivar as crianças a "levarem" os pais a "leva-las" a ir visitar os monumentos e locais de cada livro;
  • A divulgação dos Monumentos Portugueses, com a implementação de visitas criadas especificamente para as crianças e em estreita ligação a cada um dos livros, mantento todo encantamento e magia da respectiva estória;
  • Produtos complementares e de divulgação, tais como Vestuário (Projecto "Roupa Didática" com o apoio da Fundação Serralves), Serviços de Louça (SPAL) e outros.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

O Misticismo em redor do contador de histórias

A melhor coisa que me podem pedir é - conta uma história…

Quando se conta UMA HISTÓRIA com paixão, com alma, cria-se

em nosso redor uma bolha de encantamento que se vai enchendo e preenchendo

com os sonhos das crianças.

No final da história, soltamos essa bolha e lá vai ela, subindo pelos céus, encher o mundo de

sonhos e finais felizes.

Ser contador de histórias é fazer um pouco de magia .

image 

 

 

“os Contadores de Histórias,  são seres encantados que povoam o mundo real e levam encantamentos e poesia para todas as pessoas. O Contador é Senhor do Tempo e usa as histórias para revelar verdades da vida.

Desde o início dos tempos, o conhecimento era transmitido de forma oral pelos homens primitivos. Sentar em volta do fogo, ao redor de uma mesa, em bancos de cozinha vinham sempre acompanhados de histórias. Mas, com o advento de novas tecnologias, este hábito ficou adormecido por muito tempo, e o homem desaprendeu a ouvir.
Há algum tempo, entretanto, o resgate da tradição oral vem ganhando força, e a cada dia surgem novos contadores de histórias. Grupos se formam, e essas pessoas, que foram um dia chamadas de povo encantado, voltam a habitar o mundo.
O trabalho dos Contadores de Histórias tem o objectivo de resgatar a tradição oral e o ensinamento contido nas histórias. De forma subtil e agradável, eles têm o poder de conduzir os ouvintes a mundos encantados.
O conto ressurge com intensidade nas escolas e passa a ocupar vários espaços alternativos. Hoje se conta histórias em hospitais, bibliotecas, empresas, bares, restaurantes, praças, palco etc. em qualquer lugar onde existam pessoas dispostas a emprestar seus ouvidos generosos para ouvir e se encantar com um conto, pessoas com o coração aberto para aprender e ensinar.

 
O contador de histórias tem uma missão que não pode ser abandonada ou feita pela metade. Quem começa a contar não pode nunca parar, pois desempenham um papel fundamental para que o mundo seja mais mundo, que a vida seja mais vida e para que nós sejamos mais humanos.
A intenção do contador de histórias tem que ser muito clara. O conto deve ser doado ao ouvinte. Para que isso aconteça, é necessário que haja uma completa integração entre conto e contador, que um esteja apaixonado pelo outro. O processo de escolha do conto é bilateral, tanto o contador escolhe o conto, como o conto escolhe o contador. A história precisa fluir através do contador, que passa a ser um instrumento deixando que a mensagem saia de seu coração para o coração dos ouvintes.”

retirado do blog:

estórias de lua

sábado, 11 de julho de 2009

Vamos todos à Nazaré

 

É com  muita satisfação que vos convido para o lançamento  de  mais um livro infantil-“ D. Fuas Roupinho”

Mais uma Lenda da nossa História para  encantar crianças e adultos.

Tenho desta vez, o prazer de ter como ilustrador, um talentoso pintor , que se aventurou

nas ilustrações- Gabriel Colaço.

Por tudo isto venham até à Nazaré no dia vinte cinco de Julho, pelas dezoito horas. 

 

image

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Lá vem o quinto livro

image 

Desta vez, mais uma lenda vai ser abordada.

O grande Cavaleiro D. Fuas Roupinho vai-te surpreender…

A sua coragem, força  espiritual  e audácia eram as suas maiores armas.

Para conheceres este bravo cavaleiro estás convidado para a sessão

de lançamento.

Será na Biblioteca da Nazaré no dia 25 de Julho pelas dezoito horas.

terça-feira, 7 de julho de 2009

“A Padeira de Aljubarrota” já está no LER+ (PNL – Plano Nacional de Leitura)

capaA nossa “Padeira de Aljubarrota” vai de vento em popa.

Agora já está no Plano Nacional de Leitura.

Eu e a Susanne estamos muito satisfeitas e com vontade de continuar a levar a nossa História de Portugal à pequenada.

Ler Mais

Pensamentos Bonitos

 

É sempre inspirador ler a as palavras de um grande homem…

Vamos cuidar  e respeitar as  nossas crianças.

 

image 

 

“Se quisermos alcançar a verdadeira paz neste mundo e se quisermos desfechar uma verdadeira guerra contra a guerra, temos de começar pelas crianças; se crescerem com sua inocência natural, não teremos que lutar; não teremos que tomar resoluções ociosas e infrutíferas, mas seguiremos do amor para o amor, da paz para a paz, até que finalmente todos os cantos do mundo estarão dominados pela paz e amor, pelo que o mundo inteiro está ansiando, consciente ou inconscientemente."
Ghandi

A Padeira vai para o Norte

 

A Padeira de Aljubarrota vai mostrar os seus dotes ao Norte do País.

A  mulher alta, forte, aventureira e com seis dedos em cada mão vai

encantar a criançada .

 

Amanhã irá estar na Feira do livro de Ermesinde e da Maia.

 

image image

sexta-feira, 3 de julho de 2009

As crianças foram até à Fonte da Senhora

 

Hoje o bosque que envolve a Fonte da Senhora encheu-se de crianças.

Muitos Jardins de Infância do Agrupamento da Benedita  aceitaram o desafio de ouvir a  história “A lenda da Fonte da Senhora” in loco. Sentados no chão em contacto, com folhas, paus, plantas, abelhas, chilrear dos pássaros e som da água, lá estavam as crianças animadas e excitadas.

Foi muito emocionante, poder contar-lhes a lenda no local, onde a acção  se terá desenrolado. A natureza envolvia-nos e por entre as folhas das árvores o sol  ia –nos espreitando, as nuvens que passavam, também eram alvo de admiração - não fosse a Mãe de Jesus por lá aparecer.

Foi uma ternura… ver aquelas carinhas larocas  desfrutar do bem-estar criado pelo bosque.

Devo, porém dizer, que este espaço com uma grande riqueza natural, devia ser alvo de uma requalificação e até explorado do ponto vista da Lenda. As crianças agradeciam.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Olha que padeira mais linda...

Nova Escultura da Padeira de Aljubarrota Sempre lembraremos!

A valente Brites de Almeida, Padeira de Aljubarrota, já tem uma nova estátua!

Foi realizada pelos Pequenos Jornalistas que passaram a apreciar mais esta personagem lendária da nossa História, depois de conhecerem melhor a sua vida, contada no livro "A Padeira de Aljubarrota" da autoria da escritora  Vanda Furtado Marques, que tivemos o prazer de conhecer.

O processo de realização foi lento e só à segunda tentativa teve sucesso, o que nos fez aprender algumas das características do trabalho em barro, tendo em vista a sua cozedura em fornos industriais.

Teve a intervenção de todo o grupo e também da Dora e da Rita que vieram estagiar no J.I.Tremoceira; a mãe do João Marto deu o barro e levou a peça para cozer no forno da fábrica, o que muito agradecemos.

Agora só falta arranjarmos uma pá mágica como a verdadeira...

Artigo retirado do Blog os “Pequenos Jornalistas”.
Visita-o vê outros trabalhos giros destas crianças do J.I. Termoceira. Quando o visitares deixa um comentários, que as crianças adoram.

 

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin