quarta-feira, 29 de abril de 2009

Parabéns Zé Eduardo

image

É já no dia dois de Maio, que o meu grande amigo, Zé Eduardo, mais conhecido por Jero , no meio jornalístico

vai lançar o livro da sua vida. Espero que seja o primeiro de muitos.

Eu já tive o privilégio de o espreitar e digo-vos que é um verdadeiro hino à memória e a coragem de todos os combatentes que lutaram nas ex- colónias.

Por tudo , muito sucesso.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

D. Nuno Álvares Pereira, que grande exemplo.

 

Esta figura fascina-me e  encanta-me.
Dentro em breve irei criar uma bela história para os pequenitos.
Enquanto a história ainda anda em ebulição e construção… deixo-vos
aqui um excerto  retirado de um fascículo editado pela Real ordem de Santa Isabel
e Fundação Maria Ulrich, sobre Dom Nuno:

 

image 

(…) o cavaleiro Dom Nuno era muito rico, o homem mais

rico de Portugal, a seguir ao rei. Mas a sua riqueza não queria guardá-la

só para ele. Repartiu  com os seus netos, os seus escudeiros, os seus criados e os soldados

que o tinham acompanhado nos combates. Portugal estava agora em paz; não precisava

da sua espada nem da sua coragem(…)

 

Um Homem que teve o mundo a seus pés, mas que soube retirar-se no momento certo.
Teve ainda um grande outro mérito; a sua alma era tão nobre e o seu coração tão grandioso
que deu todos os seus bens.
Por isso D. Nuno, tu te tornaste,  o frade S. Nuno de Santa Maria.
Cativou-me ainda a parte  mágica e a ligação ao maravilhoso,  “ a mística do
Rei Artur”, pelas palavras de Fernando Pessoa 

NUN'ÁLVARES PEREIRA

Que auréola te cerca?

É a espada que, volteando,

faz que o ar alto perca

seu azul negro e brando.

Mas que espada é que, erguida,

faz esse halo no céu?

É Excalibur, a ungida,

que o Rei Artur te deu.

'Sperança consumada,

S. Portugal em ser,

ergue a luz da tua espada

para a estrada se ver

Fernando Pessoa

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Era uma vez … em Abril

E viva a liberdade

 

image

 

Era uma vez… um país, oprimido, triste e envergonhado pela opressão.

Quem vivia nesse país sentia-se amordaçado pelas  forças castradoras .

As pessoas queriam sorrir, mas o riso era proibido, as pessoas

queriam dançar, mas as forças silenciavam a música.

As pessoas queriam  chorar, mas as lágrimas murchavam de dor.

E as crianças  queriam brincar , mas faltava-lhes um lugar para sonhar.

Um dia , de Abril,  tudo mudou…

Ouvia-se pelas ruas , praças  e avenidas :

Viva a liberdade! Viva a liberdade!

As ruas enchiam-se de gritos, choros, abraços e sorrisos.

A musica incendiava as ruas… e cantava-se com paixão :

Grândola Vila Morena … o povo é que mais ordena.

E aquele país triste e cinzento, desabrochou…

E os pais , as mães , as crianças, os tios e primos

e os avós juntaram-se numa enorme e redonda roda de liberdade,

e entoavam alegremente… vinte cinco de Abril  para sempre.

Texto Vanda Furtado Marques

 

«O Futuro«
José Carlos Ary dos Santos

Isto vai meus amigos isto vai
um passo atrás são sempre dois em frente
e um povo verdadeiro não se trai
não quer gente mais gente que outra gente

Isto vai meus amigos isto vai
o que é preciso é ter sempre presente
que o presente é um tempo que se vai
e o futuro é o tempo resistente

Depois da tempestade há a bonança
que é verde como a cor que tem a esperança
quando a água de Abril sobre nós cai.

O que é preciso é termos confiança
se fizermos de maio a nossa lança
isto vai meus amigos isto vai.

Dia Mundial do Livro…as aventuras de duas padeiras em Lisboa

 

image padeira

No dia Mundial do Livro estivemos na Bertrand da Avenida de Roma a dinamizar

a história da “Padeira de Aljubarrota”.

Tínhamos 75 meninos da Escola S. João de Deus à nossa espera.

Tudo se passou em plena rua , foi muito desafiante.

Para os meninos foi uma experiência diferente, tiveram

direito a diplomas do Dia Mundial do Livro, balões e até umas

deliciosas maças.

  Eu e a Susanne tivemos uma experiência deveras hilariante na nossa

passagem por Lisboa..

Tínhamos de ir para o Chiado, como estávamos com alguma pressa

íamos vestidas de Padeiras.

As pessoas olhavam para nós e perguntavam pelos Castelhanos,

outros , onde era a festa? e de que seita nós éramos?

Mas a parte mais cómica foi, quando o taxista tentou enfiar a enorme pá

no táxi. Quando demos por nós tínhamos um grupo de pessoas

super divertidas a olhar para cena.

Parecia um filme cómico.

Foi divertido demais…

terça-feira, 21 de abril de 2009

Vamos olhar para a nossa História de Portugal

As nossas crianças precisam de referências, de memórias, de exemplos de virtudes.

Podemos descobrir tudo isto na nossa História de Portugal( Reis, Rainhas, Santos, figuras lendárias e a coragem povo anónimo)…

Vamos  seguir o exemplo dos povos das culturas clássicas, que liam  às crianças os seus grandes poetas, as epopeias dos seus  heróis,  como forma de lhes dar uma formação intelectual, cívica e responsável.

 

Por isso vou continuando na minha  missão:

 

CIMG7664 CIMG7647

  1. Contar episódios da nossa História de Portugal com uma linguagem simples, encantada e carinhosa, de forma a levar as crianças a descobrir a riqueza da nossa cultura.
  2. Levar as crianças a Descobrir Valores que cada vez mais se vão desvanecendo na nossa sociedade.
    No "O Amor de Pedro e Inês" abordei a importância do amor incondicional;
    No "O Milagre de Isabel e Dinis" a partilha e a gratidão; e
    Nos restantes livros da colecção outros valores vão imergindo.
  3. Abordar a História do Ponto de Vista Feminino ao demonstrar que as Rainhas tiveram um papel fulcral na nossa História e que juntamente com um grande Rei existiu sempre uma grande Rainha.
  4. Permitir que as crianças vejam o Lado Humano dos Reis e Rainhas e que isso lhe possibilite descobrir que as decisões e os actos por eles realizados também lhes criaram indecisões, dúvidas, ódio e sacrifícios e transformações.
    No fundo através destas histórias as crianças poderão rever-se a si e aos outros.
  5. Levar as crianças, e respectivas famílias, a Visitarem os nossos Monumentos e Locais Históricos descobrindo-os e vendo-os sob uma nova perspectiva, já influenciada pelos pontos anteriores.
    Isto é, sabendo que todas as pedras que os constituem, foram testemunhas das histórias e vidas reais de seres humanos, que através das suas acções os levaram a ser importantes para aquilo que somos hoje como povo e como pessoas.
     
  6. Oferecer às crianças Encantamento e Magia, pois é muito mais fácil cativar as crianças para o Mundo da História através da linguagem dos contos de fadas.

Dia Mundial do Livro

 

11 - A emocao foi tanta

 

Vai-se comemorar na quinta-feira, dia 23 de Abril, o  Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor.

Como forma de comemorarmos esta data, eu e a Susanne iremos estar na Bertrand da Avenida de Roma.

Vamos ter um grupo de crianças do agrupamento da Filipa de Lencastre de Lisboa, que connosco se

irão divertir e meter as mãos na massa.

Junta-te a nós , por volta das onze da manhã, e vem conhecer a nossa invencível, Brites de Almeida e a sua 

ajudante e fabulosa pasteleira .

domingo, 19 de abril de 2009

Obrigado, por tudo

 

 CIMG1076 CIMG0626

 

A uma grande mulher, que traz sempre no coração, as historias , crianças e a justiça.
Aqui fica, da minha grande e lutadora amiga, Áurea  Mata

Dos três livros que escreveste
Para mim, qual o melhor
Com 3 "temas" bem diferentes
Em dois entra muito amor


Embora o amor verdadeiro
Esteja no Pedro e Inês
Que acabou em tragédia
Por causa da "malvadez"


Esse teu trabalho Vanda!
Tem muito, muito valor
A História de Portugal
Escrita por ti com amor

Se o amor vence tudo!...
Será que vence destinos

A ti pediu-te que escrevesses
A "História" aos mais pequeninos

Pequeninos e não só
Os teus livros são p´ra nós
Lê o pai,a mãe e os filhos
Tias, primos e avós


Está para breve o quarto
Já por aí se ouve dizer
És uma grande MULHER
Nunca pares de escrever!...


Bjo Áurea

sábado, 18 de abril de 2009

Que exemplo Real

 

image 

Uma das minhas próximas histórias infantis irá ter como protagonistas

D. Filipa de Lencastre  e D. João I

Que Rainha culta , mãe extremosa  e grande pilar de D. João I…

Que Rei generoso, lutador, amigo da família e visionário

Apaixonem-se, por estas palavras de Fernando Pessoa

  D. Filipa de Lencastre

Que enigma havia em teu seio
Que só génios concebia?
Que arcanjo teus sonhos veio                                            
Velar, maternos, um dia?

Volve a nós teu rosto sério,
Princesa do Santo Gral,
Humano ventre do Império,
Madrinha de Portugal!

Fernando Pessoa

D.JOÃO O PRIMEIRO

O homem e a hora são um só

Quando Deus faz e a história é feita.

O mais é carne, cujo pó

A terra espreita.

Mestre, sem o saber, do Templo

Que Portugal foi feito ser,

Que houveste a glória e deste o exemplo

De o defender.

Teu nome, eleito em sua fama,

É, na ara da nossa alma interna,

A que repelle, eterna chama,

A sombra eterna.

Fernando Pessoa

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Um novo livro infantil …

 

 

image

 

Será já em Maio que eu lançarei o meu quarto livro.

Vou deixar algumas pistas…

É uma lenda portuguesa.

Há uma aparição da Nossa Senhora.

Tudo se passa em torno de uma fonte.

Já sabes?

Deixa os teus palpites.

segunda-feira, 13 de abril de 2009

O que há por trás de um conto infantil

 

image

“ Toda a  criança fica fascinada ao escutar as histórias infantis.

E o adulto questiona-se, porque razão a criança quer ouvir a mesma história várias vezes ? Ele

não consegue perceber este desejo da criança.

Na repetição de uma mesma história, a  criança elabora factores emocionais que estão implícitos

naquele conto. Só com uma análise do conteúdo do enredo podemos perceber, o que está por

trás do discurso, e o que isso tem a ver com a actual história de vida da criança (…)

Agora pergunto: o que seria das grandes realizações dos homens, se não houvesse acontecido

antes um grande sonho, proveniente da imaginação e do faz de conta? Como estaria nossa

evolução actual? E os avanços na área tecnológica e científica? A criatividade pressupõe uma

imaginação livre, um desafio ao desconhecido, que somente os clássicos infantis podem

oferecer às nossas crianças.

Os contos falam desta consciência, de maneira transmutada, de certa forma ensina os pequenos a observarem e

trabalharem o egoísmo, a ganância, a insensatez, a agressividade, transformando ou pelo menos ensinando a

controlar instintos mais subtis, para compor uma sociedade mais civilizada e humana(…)

autoria de Eliane  Pisani

domingo, 12 de abril de 2009

Lendas de Alcobaça

 

Lenda do Castelo de Alcobaça

image

Conta-se que há muitos, muitos anos atrás, no Castelo de Alcobaça

havia um poço encantado. Deste poço imanava uma estranha

melodia que enfeitiçava,  quem por lá passasse. Principalmente,

raparigas donzelas.

Estas fugiam a sete pés do Castelo, não fosse a melodia encanta -lás.

Porém, certo dia uma rapariga esqueceu-se da recomendação e foi buscar

água ao dito poço.

Enquanto pousava o cântaro no chão, e ajeitavas as suas saias. Uma

  estranha melodia  começou a percorrer-lhe  todos os cantos dos ouvidos,

deixando-a completamente atordoada. Ao mesmo tempo, via-se emergir

entre as ameias, uma imponente figura de um Mouro. Este tinha um

olhar tão penetrante que,  imediatamente,  hipnotizou a menina, e a encaminhou para

dentro do castelo. Assustada , ainda teve forças para rezar por Nossa Senhora e

agarrar -se a uma medalha de um santinho que trazia ao peito.

E como por magia,  o mouro evaporou-se , desaparecendo no meio de uma grande

fumarada e com uma grande risada disse:

AH… Ah…Obrigado, por me teres libertado desta prisão.

A rapariga  correu assustada para casa, e contou aos pais o estranho acontecimento. 

Os pais ainda aflitos, contaram-lhe que o castelo estava amaldiçoado com o fantasma

do  Ben Al Mansor, o chefe mouro que tinha morrido na batalha em defesa do seu castelo.

Mas que ,graças à sua força  espiritual e coragem, a maldição tinha-se finalmente  quebrado.

Foi assim, que a partir desse dia,  as raparigas puderam  passear junto do castelo, sem qualquer receio.

Adaptação  da Lenda do Castelo

por Vanda Furtado Marques

quarta-feira, 8 de abril de 2009

A razão de escrever para crianças

 

image

 

Por vezes perguntam-me porque razão eu gosto de escrever para crianças.

Eu  respondo, que tenho uma enorme paixão por crianças e que estas são

sinceras e muito verdadeiras.

Mas devo dizer que ao ler as palavras de Isaac Bashevis, Prémio Nobel  da Literatura

em 1978, senti uma enorme comunhão:

“Existem quinhentos motivos pelos quais comecei a escrever para crianças, mas para economizar

tempo, vou apenas citar dez:

Primeiro- As crianças lêem os livros, não as críticas. Não dão  a menor importância aos críticos

(…)

Terceiro- as crianças não lêem para se descartar e sentimentos de culpa, nem para saciarem a sua sede

de rebelião, nem para se livrarem da alienação.

 

Sétimo- Acreditam em deus, na família, nos anjos, nas bruxas, nos duendes, na lógica e na clareza (…)

 

Oitavo- Adoram histórias interessantes e não os comentários, guias ou notas de rodapé.

 

Nono- Quando um livro é chato, elas bocejam abertamente, sem sem qualquer medo ou vergonha.

 

Décimo- Não esperam que o seu escritor querido vá salvar a Humanidade. Embora jovens, elas sabem que isso não está ao alcance do autor. Só os adultos têm dessas ilusões infantis.”

E está tudo dito…

Que belo pensamento

 

image 

           Maria Alberta Méneres escreveu no seu livro “ Imaginação ”

 

    “ Muitas vezes me sento, serena, na linha do horizonte.

      O horizonte é um lugar mágico e perturbante: não pertence

à terra nem ao mar; não se assume no espaço. Existe em si próprio…

    Vive no fio afiado dos contornos, na lâmina de espanto.

    Como a imaginação.

   Um dia, frente ao mar, uma criança olhou para mais longe possível

e descobriu:

  - Já sei como é que o azul sobe para o céu. É pela linha do horizonte!”

As crianças vivem lado a lado com estas alegrias.”

.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Uma Feliz Páscoa

 

A  mais nova padeirinha   e eu desejamos uma Feliz Páscoa.

image

Beijinhos muito grandes e fofos

domingo, 5 de abril de 2009

A Padeira na FNAC de Coimbra

 

 

image capa

 

 

Estive no Sábado, a convite da associação Integrar ( projecto desenvolvido em Coimbra, que tem

como público alvo: crianças e jovens, minorias étnicas e /ou emigrantes) na  FNAC. Este projecto interessantíssimo

promove a inserção destes jovens nas Escolas, proporciona- lhe melhores condições de vida , dá-lhes formação

profissional, promove ocupação dos tempos livres e apoio psicológico.

Foi para mim, um enorme prazer , partilhar com estes meninos, a minha paixão pelas histórias e proporcionar-lhe

uns momentos de diversão com a Padeira de Aljubarrota.

Se cada um de nós der um bocadinho de nosso tempo e partilhar com os outros ,aquilo que nós temos para oferecer.

De certeza que teríamos um mundo mais solidário  e afectuoso.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Música em honra da nossa Padeira de Aljubarrota

Aqui fica uma divertida música escrita pelos meninos do Jardim de Infância do Agrupamento de Porto Mós.

A Dona Brites de Almeida

Era uma grande Padeira

O dia de cozer a broa

Era à segunda-feira


 

E um dia foram lá…

Sete espanhóis bem malvados

Ela meteu-os no forno

e quase morriam assados.

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Dia Mundial do Livro Infantil

 

 

Uma bela mensagem do Egípcio Hani D. El Masri

image

Eu sou o mundo, e o mundo sou eu,

porque através do meu livro

posso ser quem quiser.
Palavras e imagens, versos e prosa,
levam-me a lugares vizinhos e distantes.

Na terra dos Sultões e do ouro,

mil histórias se revelam,

tapetes voadores, lâmpadas mágicas,

Génios, Ghouls e Simbad,

contam os seus segredos a Sherazade.

A cada palavra em cada página,

viajo no tempo e no espaço.

E nas asas da fantasia

o meu espírito atravessa terra e mar.

Quanto mais leio, mais compreendo

que, com o meu livro,
estarei sempre

na melhor das companhias.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin